Congresso em conferência de imprensa

CONFERENCIA DE IMPRENSA7

O I Congresso Internacional “A Morte: Leituras da Humana Condição” foi ontem apresentado à imprensa, em Guimarães, num encontro promovido pela munícipio local e pelo IEAC-GO. A Vice-presidente da Câmara de Guimarães, Adelina Pinto, afirmou o empenho da parceria da autarquia em relação a este evento. “Começamos a olhar para este congresso como um evento rico em termos de programa e que responde a várias áreas do saber, desperta a curiosidade, incorpora as várias religiões e permite um olhar transversal sobre o tema. Por isso, Guimarães respondeu a este desafio”, salientou Adelina Pinto. Além disso, a autarca vincou o objetivo de afirmar Guimarães como “uma Cidade de congressos e de Conhecimento, reforçando a identidade histórica e cultural”.

O Presidente do Conselho Científico do Congresso, Paulo Alves, destacou as áreas transversais do tema. “A morte faz parte da nossa existência e, por essa razão, a Comissão Científica resolveu realizar um congresso no sentido multidisciplinar e com pessoas de três Continentes e cinco Países. Pretendemos analisar o impacto da morte do ponto de vista das religiões, da arquitetura, dos filósofos, dos teólogos, sacerdotes, poetas, jornalistas e como os humoristas lidam com a morte. A morte não é propriedade de qualquer domínio, está em todas as culturas, profissões e religiões”, sintetizou.

Eugénia Magalhães, presidente do IEAC-GO, destacou o reconhecimento do instituto  "que Guimarães é , a nível nacional,um dos municípios que promove imenso a cultura e um dos grandes objetivos do Instituto é fazer uma grande divulgação da cultura fora de Lisboa e fazer esta ponte para diferentes pontos do país”,  realçando a “simbologia” pelo debate sobre “o fim da nossa existência no Berço da Nacionalidade”.

O congresso terá lugar de 21 a 24 de Fevereiro, no Centro Cultural Vila Flor, na cidade de Guimarães.