Miriam Assor

Miriam Assor nasceu em Lisboa a 13 de junho de 1966, no seio de uma família judaica ortodoxa. Uma visita aos campos de concentração nazis, em 1985, fá-la trocar o curso de Psicologia Aplicada e a cidade pela vida comunitária dos kibbutz e pelo voluntariado, em Israel. De regresso, após dois anos e meio, licencia-se e, simultaneamente, segue um curso Comunicação no Instituto de Aperfeiçoamento Acelerado. No entanto, opta depois por ingressar na companhia aérea El Al, onde trabalha durante uma década. Depois vêm os livros: em 1997, Libi, um livro de poemas. Torna-se cronista do semanário O Independente e, em 1999, edita Sentidos. Em 2001, coordena Luz, em homenagem póstuma ao seu pai, Abraham Assor, rabino da comunidade israelita de Lisboa durante cinquenta anos. Em 2003, coordena a obra Gueto de Varsóvia e é comissária de duas exposições, coincidindo a última, em 2005, com a exposição documental alusiva à vida de Aristides de Sousa Mendes, Registos para a Liberdade, na Casa do Registo, em Lisboa. Em 2008, edita Crónicas de Táxis. Atualmente é jornalista freelancer.